Venda de frutas para a merenda escolar transforma a vida em Corumbataí do Sul


As terras que abrigam as plantações em Corumbataí do Sul, no Centro-Oeste do Paraná, nunca estiveram tão produtivas como agora. As frutas colhidas pelos pequenos agricultores do município seguem direto para as 2.500 escolas estaduais e conveniadas do Paraná. Desde 2012, a pequena cidade, que fica próxima a Campo Mourão e tem quatro mil habitantes, fornece frutas e polpas de frutas orgânicas para a merenda escolar do Estado. A entrega dos alimentos para as escolas mudou a história dos habitantes e da própria cidade com a criação de novos empregos. A renda dos pequenos agricultores aumentou e eles conseguiram diversificar a produção, após participarem das chamadas públicas para oferta dos alimentos da agricultura familiar realizadas pela Secretaria de Estado da Educação. Todos estão organizados na Cooperativa Agroindustrial de Corumbataí do Sul, a Coaprocor, que reúne também associados de outros 25 municípios do Paraná. São mil pequenos produtores ligados à cooperativa. A compra dos alimentos por parte do Governo do Paraná para a merenda escolar permitiu que a cooperativa investisse em tecnologia. Hoje, os pequenos agricultores têm uma agroindústria à disposição. Lá eles observam os produtos serem transformados para conseguirem um maior valor agregado. A cooperativa produz cerca de 70 mil quilos de frutas e polpas de frutas por mês. Segundo o presidente da Coaprocor, Gerson Rodrigues da Cruz, a venda dos produtos para a merenda escolar trouxe uma mudança radical na cidade. //SONORA GERSON RODRIGUES DA CRUZ// Com a agroindústria a cooperativa passou a empregar 30 funcionários, que moram em Corumbataí do Sul. A média de produção é de 5 a 6 mil quilos de poupa de frutas orgânicas por dia. A garantia de que a produção colhida será comercializada também fez com que a população de Corumbataí do Sul não diminuísse. Antes de fornecer os alimentos para a merenda escolar, os produtores vendiam para os mercados comuns. Como a disputa com grandes produtores é difícil, muitos agricultores pensaram em abandonar Corumbataí para tentar a vida em uma cidade maior. Carlos Cezar Matesco, de 49 anos, já pensou em arrancar todos os pés de laranja que produz e ir para Indaiatuba, em São Paulo. Hoje com a entrega dos produtos para a merenda escolar, o agricultor pensa em diversificar a plantação. //SONORA CARLOS CEZAR MATESCO// O agricultor Olavo Aparecido Luciano, de 46 anos, confirmou que agora é possível entregar uma quantidade maior de produtos. //SONORA OLAVO APARECIDO LUCIANO// Para o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns, o Paraná deu um grande salto quantitativo na compra de alimentos sem agrotóxicos.//SONORA FLÁVIO ARNS// Em 2011, eram adquiridas nove toneladas de alimentos orgânicos. Hoje, são mais de 2.500 toneladas de alimentos da agricultura orgânica no Estado. Neste ano, o Governo do Paraná já comprou 47 milhões de reais em alimentos de pequenos produtores. O Estado é o único do Brasil que supera a meta de comprar 30% de produtos da agricultura familiar para a merenda. Atualmente, 50% dos produtos servidos nas escolas estaduais são da agricultura familiar. Até dezembro, vão ser servidas 15 mil toneladas de alimentos produzidos por agricultores que integram 136 cooperativas em todo o Paraná. (Repórter: Alexandre Senechal)
http://www.aen.pr.gov.br/