Uma sugestão para garantir a independência financeira das mulheres indígenas da região

Produtos artesanais feitos pelas mulheres indígenas da região estão à venda até este domingo em Joinville, no Shopping Cidade das Flores por Albertina Camilo O trabalho coordenado pela doutora em produção vegetal Vera Maria Carvalho Silva Santos junto às mulheres guaranis de seis aldeias da região chamou a atenção de um grande número de pessoas em Joinville. Até as 22 horas deste domingo, uma feira de artesanato típico dos guaranis está instalada em uma loja do Shopping Cidade das Flores, a primeira à direita para quem entra pela rua Dr. João Colin. É um dos frutos do Projeto Mulheres Mil, que funciona no IFC de Araquari e integra um programa do governo federal de combate à miséria implantado pelos institutos federais em todo o Brasil. Entre as pessoas que se encantaram com este projeto está a psiquiatra infantil Regina Coeli Martins Pinto. Para que o trabalho de venda organizada do artesanato feito pelas mulheres guaranis não se esgote nesta feira, ela sugere uma parceria entre Joinville e Araquari. A ideia é que Joinville ceda espaço para uma feira permanente, como forma de proporcionar autonomia financeira a essas mulheres, tirando-as para sempre da mendicância.
- É uma forma de devolver um pouco do que tiramos desse povo - afirma Regina. Vera Santos destaca os bons resultados da primeira experiência e espera um incremento nas vendas neste sábado e domingo, quando a feira se encerra, garantindo a cesta de Natal nas aldeias. Vera comemora principalmente o aumento da autoestima das mulheres indígenas, que estão amando vender o artesanato que produzem em um local especialmente montado para isso. Por tudo isso, a proposta de Regina merece atenção. http://wp.clicrbs.com.br