Trabalho de mestras bonequeiras é retratado em livro


Publicação conta história de mulheres nordestinas que têm o dom de dar vida a bonecas de pano
por Portal Brasil
Publicação/Fundação Joaquim Nabuco
Bonecas de pano continuam muito populares em diversas regiões do País
Itens relacionados
Na próxima segunda-feira (7), durante a XV Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), às 15h, haverá o lançamento do livro Que boneca é essa? - corte e recorte de mestras bonequeiras, com palestras das autoras do livro, a pesquisadora Macao Goes, e a fotógrafa Graça Seligman.
O Museu do Homem do Nordeste apoia o lançamento, pois colaborou no mapeamento das mestras em Pernambuco e, também, realizou uma exposição com os resultados das pesquisas dos estados da Paraíba e de Pernambuco.
A proximidade da pesquisadora Macao Goes com os brinquedos populares é algo que acompanha toda a sua trajetória de vida. Em 1980, através de uma bolsa concedida pelo governo mexicano, estudou o brinquedo artesanal daquele país, sob a orientação do professor Carlos Espejel, dando início, daí então, a uma expressiva coleção de brinquedos populares, acervo que atingiu as 1.600 peças. Em 2008, a Coleção Macao Goes de Birnquedos Populares foi adquirida pelo Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza (CE).
Entre os anos de 1999 e 2000, Macao Goes, contratada por uma OSCIP, foi consultora do Artesanato Solidário, onde implantou dois projetos de brinquedo artesanal na Paraíba, consolidando sua trajetória profissional na área.
Dois desejos levaram Macao a escrever o livro Que boneca é esta? corte e recorte de mestras brasileiras. O primeiro, a ausência de publicações recentes em que a mestra bonequeira apareça com rosto, nome e sobrenome. Muitas das artesãs retratadas no livro estão com mais de 75 anos. O Livro é uma homenagem a elas. O outro motivo foi a cumplicidade e os laços afetivos estabelecidos com a fotógrafa Graça Seligman. Com sua vivência no mundo das imagens, ela empenhou, com delicadeza, o seu olhar ao universo do patrimônio imaterial.
O Museu do Homem do Nordeste esteve com Macao Goes em dois momentos inter-relacionados. Realizou o mapeamento das artesãs bonequeiras na cidade de Bezerros, região do Agreste pernambucano de forte tradição na arte, assim como organizou uma exposição de fotografias sobre o tema, em 2011, intitulada Mestras Bonequeiras no Museu do Homem do Nordeste.
Fonte: Fundação Joaquim Nabuco