Sobras de fantasias viram bijuterias e ajudam a garantir renda extra a artesã


Material foi deixado na área de dispersão do sambódromo.
Restos viram artigos de decoração, bijuterias e enfeites para sandálias.
Jonhwene Silva
Do G1 AP
Luciana Oliveira, sobras ajudam a aumentar a renda
Após o desfile das escolas de samba na primeira noite de carnaval no Sambódromo, na sexta-feira (28), dezenas de fantasias foram jogadas fora ou, simplesmente, deixadas pelos brincantes na área de dispersão da Avenida Ivaldo Veras, Zona Sul de Macapá. O que poderia ser apenas lixo pode garantir renda extra para quem sobrevive da comercialização de artesanato. É o caso de Luciana Rodrigues, de 38 anos, que recolhe as sobras e as transforma em peças de arte.
A artesã, que pelo segundo ano consecutivo foi ao Sambódromo recolher as sobras de fantasias, conta que muita coisa que é deixada para trás ainda tem utilização. São tecidos, lantejoulas, fitas e até mesmo ferragens que se transformam em novas peças. Artigos de decoração, pregadores para cabelos e enfeites para sandálias são alguns dos produtos que ela confecciona.
Artesã Luciana em busca de produtos que possam ser reutilizados
A gente aproveita para vir aqui e buscar esses produtos que são deixados para trás. E muitos são caros no comércio. É um chance de diminuir os nossos custos na confecção dos novos objetos, diz Luciana.
A artesã possui renda mensal de aproximadamente R$ 400 e trabalha há mais de vinte anos produzindo artesanato. Ela afirma que com as sobras de fantasias consegue produzir até mesmo bijuterias e tapetes que mais tarde são vendidos a preços populares. Mãe de quatro filhos, Luciana conta que consegue aumentar em até 30% a renda da família.
Dessa forma e com meu esforço consigo garantir um aumento na renda que é pouco, mas que vai ajudar no sustento dos meus filhos. Enquanto muitos se divertem, eu aproveito para recolher tudo isso e faturar, destaca.