SERGIPE RECEBE MISSÃO TÉCNICA DE ARTESÃOS GOIANOS

SERGIPE RECEBE MISSÃO TÉCNICA DE ARTESÃOS GOIANOS
Objetivo era conhecer o modelo de produção desenvolvido pelas associações locais
Um grupo formado por 19 artesãos goianos esteve em Sergipe para conhecer os modelos de produção e gestão da atividade desenvolvidos pelas associações que participam dos projetos de artesanato coordenados pelo Sebrae. Durante quatro dias eles visitaram grupos localizados em municípios do interior do estado, além de conhecerem alguns pontos de comercialização dos produtos.
A missão técnica foi acompanhada por dois analistas do Sebrae Goiás e o secretário de Turismo da cidade de Aparecida de Goiânia. Os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer a tradicional renda irlandesa de Divina Pastora, cujo modo de fazer é considerado patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Instituto de Patrimônio Artístico Nacional (Iphan,) e o artesanato feito com a palha de ouricuri desenvolvido pelas mulheres da Associação Formiguinhas em Ação, de Neópolis.
Buscamos fazer um intercâmbio entre esses profissionais para que eles pudessem trocar experiências e descobrir como são feitas as parcerias junto a órgãos como prefeituras, governo do estado e estatais para divulgação dos produtos em eventos locais e nacionais. Esse encontro também serve para que elas possam analisar o nível das peças que estão produzindo e compará-las com as que conheceram aqui, explicou Newton Póvoa, gestor de projetos do Sebrae em Goiás.
Outros trabalhos apresentados aos goianos foram as cerâmicas produzidas em Santana do São Francisco e os bordados confeccionados pelas artesãs do povoado Santa Rita do Açuzinho, em Lagarto. Eles também conheceram os Mercados Tales Ferraz , Antônio Franco e a Rua do Turista, importantes centros de comercialização do artesanato sergipano, e a cidade histórica de São Cristóvão.
Para o diretor técnico do Sebrae Sergipe, Emanoel Sobral, a visita dos goianos também traz benefícios para as artesãs locais. O artesanato sergipano é uma referência em todo o país, mas é sempre importante manter esse contato com outras profissionais para descobrir novas técnicas, outros estilos e formas de produção. Essa troca de informações é essencial para que as nossas artesãs continuem produzindo trabalhos cada vez mais belos.
A experiência foi comemorada pela artesã Luzia Álvares, presidente da Associação Aprenda Fazendo, localizada em Aparecida de Goiânia. Posso dizer que o aprendizado durante esses dias foi intenso. Descobrimos novos trabalhos, conversando com pessoas com bastante experiência nessa atividade e percebemos como o modelo de negócio aqui é bem organizado. Agora vamos compartilhar essas informações com as nossas associadas para que consigamos dinamizar ainda mais o negócio.
Por: Wellington Nogueira Amarante
http://www.faxaju.com.br/