Queijo Canastra - produto do ano

Ator Dan Stulbach (E), mestre de cerimônia, entregando o prêmio para os representantes da região de São Roque de Minas que participaram da premiação em SP. / Reprodução
Agência Estado
Considerado um dos símbolos de Minas Gerais, o Queijo Artesanal da Serra da Canastra foi eleito o Produto do Ano pelo 8º Prêmio Paladar, concurso anual de gastronomia promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo. Para chegar a esta conquista, o queijo passou pela avaliação de 13 jurados especializados, que visitaram os mais conceituados restaurantes de São Paulo, sendo unânimes na decisão.
A premiação, realizada em São Paulo no último dia 13, contou com a presença de 400 convidados, entre eles, os principais nomes da gastronomia paulistana.
Se há poucos meses a produção e comercialização do queijo artesanal era considerada uma ação ilegal, a condecoração representa uma nova trajetória para o produto de tradição secular, feito por produtores da agricultura familiar da região da Serra da Canastra.
Toda a luta para que o queijo passasse a ser reconhecido valeu a pena. Este prêmio representa para os produtores de queijo da Serra da Canastra nosso Oscar, comemora o presidente da Associação dos Produtores de Queijo Canastra, João Carlos Leite, o Joãozinho.
Para receber o prêmio em nome das centenas de famílias produtoras de queijo na região da Serra da Canastra, estiveram presentes representantes das cidades de São Roque de Minas, Medeiros e Tapiraí.
Ser premiado em um ambiente que envolve a alta gastronomia brasileira, com chefs de cozinha de renome internacional, como Alex Atala, Helena Rizzo, demonstra nossa responsabilidade, bem como a abertura de um mercado que de fato valoriza os produtos genuinamente artesanais, salienta Joãozinho.
Durante o anúncio, a luta para que o produtor e o produto de qualidade fossem reconhecidos, legalizados e distribuídos livremente pelo País foi citado pelos organizadores do prêmio.
Além disso, o uso do queijo em pratos especiais preparados por chefs de cozinha reconhecidos e o aumento da venda em São Paulo favoreceram a legitimação do queijo como produto do ano.
Desde a publicação da Instrução Normativa 30/2013 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no último mês de agosto, regulamentando a produção e comercialização dos queijos artesanais, os produtores passaram a ter uma nova perspectiva.
Somada agora à premiação, oportunidades poderão surgir, exigindo mais ainda a responsabilidade, especialmente com a segurança alimentar.
Este momento significa a abertura de novos mercados, possibilitando maior dignidade aos produtores rurais da Serra da Canastra, oriundos da agricultura familiar. Por isso, um de nossos desafios está em continuarmos na organização da cadeia produtiva e comercial do queijo, de forma que possamos atender toda a demanda com segurança, por meio de queijos que carregam consigo todo o terroir da Serra da Canastra, preservando sua originalidade e qualidade, avaliou Joãozinho.
Ainda para Joãozinho, a premiação significa uma nova preocupação da sociedade brasileira ao valorizar os produtos da agricultura familiar, estimulando o desenvolvimento econômico e social das pequenas comunidades.
Ao invés de se preocupar apenas com a qualidade, desenvolveu-se a preocupação com as responsabilidades social, econômica e ambiental, traduzida na valorização dos produtos artesanais elaborados nas grandes riquezas cultural e geográfica do Brasil, finalizou.
Em sua 8ª edição, o Prêmio Paladar também elegeu os melhores pratos da temporada 2013/2014 e a personalidade do ano.
A premiação contou com 550 jurados (jornalistas, convidados gourmets, blogueiros e três leitores selecionados) e estabeleceu um novo parâmetro para as avaliações - durante cerca de um mês, os avaliadores provaram todos os pratos concorrentes com conta paga pelo Paladar.
http://www.clicfolha.com.br