PROMEL apresenta projeto de criação de entreposto do mel

PROMEL apresenta projeto de criação de entreposto do mel
Integrantes da PROMEL (Produtores de mel) de Dourados, sob a presidência de José Morales Garcia, da associação dos piscicultores, entregaram ao secretário municipal de Agricultura Familiar e Economia Solidária Landmark Rios, e ao secretário estadual de Produção e do Turismo Paulo Engel, o projeto de readequação do entreposto, bem como discutiram as diretrizes para a legalização das produções para que as mesmas possam ser colocadas no mercado consumidor para a venda assim como fazer parte do complemento alimentar escolar.
Reunião aconteceu na Secretaria da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Dourados, e contou com a presença do deputado Felipe Orro - Divulgação
Nas mãos do Governador
Na reunião que aconteceu na Secretaria da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Dourados, também marcou presença o deputado estadual Felipe Orro (PDT), que garantiu dar total apoio aos apicultores. Vamos acompanhar de perto a entrega desta solicitação feita pelos produtores de mel junto ao governador André Puccinelli. Tenho a plena certeza que o governador vai atender este projeto, pois o mel é um alimento muito rico em proteínas e deve sim ser colocado como mais um item na alimentação de nossas crianças e dos nossos adolescentes, disse o deputado.
Por outro lado, na reunião que teve como um dos maiores objetivos a discussão para a viabilidade de criação de um entreposto do mel no município, o secretário municipal de Agricultura Familiar e Economia Solidária, Landmark Rios, solicitou ao secretário estadual de Produção e do Turismo, Paulo Engel, para que ele intercedesse junto ao governador para que o projeto dos apicultores douradenses saia do papel, uma vez que com a legalidade da APROMEL, o mel produzido em Dourados ficaria na cidade para atender a demanda entre os consumidores e também no reforço alimentar para a merenda escolar.
O Paulo Angel nos ouviu e ficou satisfeito com o projeto. Ele nos prometeu total empenho junto ao governador para que o entreposto venha a ser instalado em Dourados e com isso favorecer a classe dos produtores de mel. Agora temos só que esperar pela decisão do governador, disse Landmark Rios.
Os apicultores ligados à associação PROMEL (Produtores de Mel), que foi criada no dia 22 de maio do ano passado, haviam declarado anteriormente que a produção deles daria para abastecer o mercado douradense e também outras cidades da região.
José Morales Garcia, presidente da associação, afirmou que saiu satisfeito com a reunião e voltou a assegurar que a cada ano que passa a produção de derivados de mel vem crescendo em Dourados. Com a intervenção do Landmark Rios e do deputado Felipe Orro, acredito que o nosso projeto será aprovado pelo governador, disse José Garcia, ladeado de Nelson Assunção, o Jabá, que é um dos integrantes da associação de produtores de mel douradense.
O Projeto
Na reunião discutida pelos apicultores com os secretários, destacou-se a necessidade de legalizar os produtos derivados do mel para que os mesmos possam ser colocados no mercado sem ter a necessidade de ter de repassá-los aos atravessadores.
Segundo os produtores, Dourados possui hoje uma das melhores regiões para a produção de mel e dos demais derivados dele do país.
Outro tema debatido entre os apicultores e os secretários relacionou-se a urgência em obter o SIM (Serviço de Inspeção Municipal), e o SIF (Serviço de Inspeção Federal), entre outros documentos empresariais para que as produções possam ser colocadas no mercado consumidor, bem como foi apresentado à readequação do projeto do entreposto do mel que está há anos desativado na cidade.
Um dos objetivos dos apicultores com o apoio da Secretaria Municipal da Agricultura Familiar e da Estadual de Produção e do Turismo é colocar o projeto do entreposto em andamento o mais rápido possível, para que eles possam colocar seu mel e os demais derivados no mercado consumidor não só de Dourados, mas também da região, bem como programá-los para ser mais um reforço na merenda escolar. Estamos precisando com urgência a legalização e a industrialização dos nossos produtos, pois somente assim iniciaremos a nossa caminhada para colocarmos eles no mercado, disse o presidente, reafirmando que a meta da associação é atingir no mínimo 50 associados nos próximos meses. Além destas metas, vamos em busca também de conquistar cursos e aperfeiçoamentos no manejo das abelhas, inclusive cursos de capacitação empresarial, finalizou o presidente.
http://www.agorams.com.br/