No AC, grupo de mulheres faz renda produzindo doces caseiros

No AC, grupo de mulheres faz renda produzindo doces caseiros
Banana tinha mais produção do que mercado consumidor.
Mulheres se uniram para fazer doces com as frutas que não são vendidas.
Do Globo Rural
Boa parte da banana produzida no Acre era descartada. O sol forte amadurecia as frutas prematuramente e para evitar o desperdício, um grupo de mulheres decidiu transformar as sobras em doce e o trabalho está fazendo sucesso.
Com a terra fértil, o trabalho dura o ano inteiro no Acre, mas nem toda a produção de banana chegava na mesa do consumidor. Por semana, cerca de 2 mil quilos de bananas eram jogados fora até que as mulheres dos produtores resolveram se unir para fazer doces com as frutas.
Vinte mulheres se revezam três vezes por semana para produzir, tudo de forma artesanal. Cerca de 600 quilos de doces saem embalados direto para o mercado.
Luciana Santos tem dois filhos e apenas o marido trabalhava. Agora, com a venda dos doces, ela já faz até planos com o dinheiro a mais dentro de casa. Vou comprar roupas, calçados, o que necessita para casa, é muito bom, diz.
Parte dos doces produzidos é encaminhada para instituições filantrópicas que trabalham com dependentes químicos e crianças carentes. Uma vez por semana, elas fazem a entrega na central de abastecimento de Rio Branco.
Os doces distribuídos para as entidades são pagos pelo Programa de Aquisição de Alimentos do Governo Federal e com a produção, cada mulher recebe cerca de R$ 900 por mês.