Mulheres encontram geração de renda através da arte e da cultura

Mulheres encontram geração de renda através da arte e da cultura
Em todo o Brasil, o mercado de artesanato tem crescido significativamente, valorizando a identidade cultural das comunidades, promovendo melhoria de vida e contribuindo para o desenvolvimento local. O número de artesãos no país constitui um contingente expressivo de trabalhadores do mercado informal. Todo esse crescimento no setor fez com que a cidade de Barra Mansa também visse no artesanato uma fonte geradora de empregos.
No município, 28 artesãs participam mensalmente da tradicional Feira de Artesanato, que tem apoio da Fundação de Cultura da cidade. A atividade é realizada na Praça da Matriz, no Jardim das Preguiças e na Gare da Estação. A feira dispõe de uma grande variedade de artesanato. Pinturas, bonecos, panos de prato, biscuits, patchwork, trabalhos com fibra de bananeira e até culinária estão entre os produtos comercializados. O objetivo, segundo a organização, é dar visibilidade a esse tipo de empreendimento na cidade.
A variedade de produtos exclusivos e de qualidade e o custo baixo fazem com que o movimento na feira seja constante. A artesã Lídia Ferraz é uma das 28 microempreendedoras e conta que encontrou no artesanato uma profissão. Além de poder ser feito sem sair de casa, o artesanato traz lucros sem a necessidade de investir muito capital, ressaltou ela que também afirma investir em cursos de capacitação e aperfeiçoamento.
Como única fonte de renda, o patchwork e o crochê de Lídia são referências na feira para quem procura bolsas exclusivas e de bom gosto.
Para Renilde Silva, a feira serve como uma vitrine de seu trabalho. Ela, que é aposentada, conta que ao longo dos anos a exposição fez com que sua produção fosse cada vez mais valorizada e que, agora, as encomendas são muitas, principalmente no Natal e no Dia das Mães. Exponho meus panos de prato na feira há cerca de dez anos e o que tenho percebido cada vez mais é a exigência do consumidor em obter produtos únicos e exclusivos, informou Renilde acrescentando que hoje a atividade não é apenas sua complementação de renda, mas principal fonte de recurso.
Projetos do Sebrae fomentam o mercado do artesanato
Como forma de promover sua inserção e permanência no mercado, desde 2002, o Sebrae realiza ações de capacitação de artistas empreendedores. Ao todo, 90 mil artesãos já foram capacitados. O objetivo é fomentar o artesanato de forma integrada, enquanto setor econômico sustentável que valoriza a identidade cultural das comunidades e promove a melhoria da qualidade de vida, ampliando a geração de emprego e de renda. Entre as ações estão a ampliação do acesso ao crédito e à capitalização, a promoção do acesso a tecnologias adequadas ao aumento e melhoria da capacidade produtiva, a educação empreendedora, o fortalecimento de associações e cooperativas, o acesso a mercados, o marketing como ferramenta de competitividade e o resgate a cultura como fator de agregação de valor ao artesanato, e a articulação de parcerias para o aumento da participação do artesanato na produção nacional e para o consequente fortalecimento do setor.
http://www.avozdacidade.com/