Morre no Recife o artesão Manoel Borges da Silva, o Mestre Nuca


Por G1 | Para: CBN Foz
Leõs de juba encaracolada fizeram a fama de Mestre Nuca
Morreu, na tarde dessa quinta-feira (27), por volta das 16h no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no Recife, o artesão Manoel Borges da Silva, 76 anos, mais conhecido como Mestre Nunca. Natural de Nazaré da Mata, na Zona da Mata de Pernambuco, ele morava desde os 3 anos de idade em Tracunhaém, na Mata Norte.
De acordo com o neto do artista, Tony Anderson Belarmino, Mestre Nuca morreu após pegar uma infecção hospitalar. Ele veio para o Recife no dia 6 de fevereiro para fazer um cateterismo no Hospital Pelópidas Silveira, mas acabou fazendo o procedimento no Imip, na segunda-feira passada. Ele estava se recuperando, já fora da UTI, quando pegou a infecção nessa quinta. Os médicos deram antibióticos e outros remédios, mas ele não resistiu.
Belarmino morava com seu avô em Tracunhaém. Ele espera que o corpo seja levado para a cidade ainda na noite desta quinta, com o enterro marcado para as 16h da sexta (28), no cemitério do município.
Mestre Nuca era conhecido por suas esculturas de leões com a juba encaracolada. Alguns de seus trabalhos podem ser visto no 1º Jardim de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, e na Praça Tiradentes, entre o Cais do Apolo e a Rua do Brum, no Bairro do Recife, centro da cidade. Em 2005, ele recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco.
http://www.cbnfoz.com.br/