Macaúba é alternativa de renda para a agricultura familiar, apresenta Seminário


A macaúba é uma palmeira encontrada em todo o País, mas com elevada concentração no Cerrado e no Pantanal
Com intuito de estimular a produção da macaúba pela agricultura familiar tocantinense, o coordenador geral de Biocombustíveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Haroldo Oliveira, ministrou palestra na tarde desta quinta-feira, 10, sobre a inclusão da macaúba como matéria prima na produção de biodiesel. A apresentação integra a programação do I Seminário Selo Combustível Social promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), e que acontece no auditório do Instituto Técnico Federal do Tocantins (IFTO), em Palmas. Cerca de 120 produtores rurais e pesquisadores participam do Seminário.
A macaúba é uma palmeira encontrada em todo o País, mas com elevada concentração no Cerrado e no Pantanal. Por isso, segundo o palestrante, tem tolerância maior às condições climáticas da região do Tocantins. A macaúba é uma espécie nativa, uma planta conhecida pelo agricultor. Poderia ser mais uma alternativa de renda para agricultores familiares. No entanto, tivemos dificuldades em identificar quem trabalha com a macaúba no Estado. O mapeamento destes produtores é a próxima etapa a ser realizada na região, explicou Oliveira.
Mesmo sendo uma planta já conhecida, o produtor rural do município de Monte do Carmo, Adão Tavares, recebeu as informações da palestra como novidade e se empolgou quanto à rentabilidade da produção de macaúba. Minha mãe já fazia bolo de macaúba quando eu era criança, mas o potencial da planta é novidade para mim. Me interessei pelo preço de comercialização e por apresentar mais de uma possibilidade de comércio como óleo, polpa e o carvão. Me falta acesso ao crédito para lidar com o maquinário necessário, afirmou Tavares.
Durante a palestra, Oliveira afirmou que o MDA e o governo do Tocantins estão interessados em levar as informações de potencial de comercialização e estratégias para a produção ao conhecimento dos agricultores tocantinenses. As qualidades da macaúba ainda eram pouco conhecidas, mas recentemente têm chamado atenção dos pesquisadores quanto à produção de óleo. Para o biodiesel, a macaúba apresenta uma produtividade bem maior do que a soja entre as oleaginosas. Ela rende quatro toneladas de óleo por hectare, enquanto a soja rende 500 kg por hectare, explicou o coordenador geral.
Além disso, Oliveira afirmou que a produção de macaúba é muito importante para agregar valor na propriedade, pois estimula um extrativismo que não seja predatório através de recuperação de área de preservação ambiental e reserva legal, e sistemas de cultivos multifuncionais - integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF), Agroflorestais e Silvipastoris. As empresas produtoras de biodiesel têm vantagens com o selo combustível social, no qual firmam contrato com os agricultores familiares e oferecem assistência técnica diretamente nas propriedades. E temos desenvolvido políticas públicas para a agricultura familiar, e assim possibilitar a geração de renda agregada ao valor da sustentabilidade, concluiu Oliveira.
surgiu.com.br