Fábrica de berrantes funciona há cerca de 100 anos na capital paulista


Negócio garante o sustento da família Malaquias há quatro gerações.
Chifres são transformados ainda em objetos de decoração.
G1 Do Globo Rural
Você já deve ter ouvido dizer que em São Paulo é possível encontrar de tudo, pois na maior cidade do Brasil tem até um negócio típico da roça.
Uma fábrica de berrantes funciona há cerca de 100 anos em um bairo da Zona Leste da capital paulista, mas é preciso olhar com muita atenção para notar a garagem onde estão guardadas toneladas de chifres de boi.
Na casinha simples funciona há mais de 30 anos uma fábrica de berrantes e peças de artesanato em chifre, um negócio que garante o sustento da família Malaquias há quatro gerações.
Tudo começou com o avô de Marciel, um agricultor que veio da Bahia há quase 100 anos e fez a vida em São Paulo com o artesanato. A tradição resistiu ao tempo.
Na oficina, as máquinas hoje operadas por três dos sete filhos do artesão são as mesmas que foram usadas pelo pai dele.
É de um amontoado de chifres que Marciel retira a matéria-prima usada nos berrantes conhecidos por terem um som de qualidade. Fazer a seleção é tarefa exclusiva dele.
Na execução do trabalho, primeiro é preciso serrar as extremidades dos chifres. Depois, a máquina retira as imperfeições. O próximo passo é lixar. São quatro etapas até que os chifres estejam bem lisinhos.
Os chifres ainda precisam estar muito bem polidos até que estejam prontos. Na hora de montar, Marciel capricha na cola, enquanto seus filhos, Pamela e Fernando, cuidam das peças de couro que dão o acabamento final.
Por mês, eles fabricam 30 berrantes. No varejo, cada um sai por R$ 250.
Os chifres menores que sobram na oficina são transformados em objetos de formas variadas, como peixes, pássaros e cuias.
Os berrantes e as peças de artesanato em chifre são vendidos para lojas de decoração, souvenir e selarias de vários estados. Alguns berrantes já seguiram até para outros países, como Japão, Estados Unidos e Itália.