Ex-vendedor descobre talento e dá vida à argila no quintal de casa, em RO


Carlos aprendeu a técnica há 12 anos.
Fábrica montada na residência onde mora produz cerca de 1,5 mil peças.
Franciele do ValeDo G1 RO
Nas mãos de um artesão a argila, aos poucos, se torna uma bela peça decorativa. A arte feita a partir da matéria prima mudou a vida de Carlos Carneiro Dias, de 35 anos, morador de Ariquemes(RO), que há quatro anos sobrevive da arte de dar forma ao barro.
Carlos aprendeu o ofício de artesão há 12 anos quando morava em Caldas Novas (GO). Na minha cidade tinha uma cooperativa que ensinava fazer objetos a partir do barro, foi onde aprendi as técnicas e desenvolvi o meu talento, conta Carlos.
Em 2009 Carlos saiu de sua cidade natal, onde trabalhava como vendedor, e mudou-se para Ariquemes com a esposa, Maria Antônia Silva, de 31 anos. Foi então que ele começou a se dedicar integralmente ao seu talento. No quintal de casa mesmo ele montou uma pequena fábrica de peças feitas de barro. Eu sabia fazer as peças, mas antes nunca havia me dedicado, e quando vim pra cá [Ariquemes] notei a oportunidade e pude fazer o que eu mais gosto e ainda ganhar dinheiro com isso, disse.
Peças produzidas por artesão são vendidas em várias cidades de RO
Na pequena fábrica Carlos trabalha com a esposa. O artesão cria e molda as peças, enquanto Maria dá o acabamento. Conheci a arte através de Carlos, essa é a paixão dele. Ele faz as peças com muito gosto e bem feitas, elogia Maria. Toda a renda da família vem da venda do artesanato.
Mesmo ainda caseiro, o negócio vem dando certo, e os objetos de barro são vendidos em Ariquemes, Ji-paraná, Cacoal e Porto Velho. Mensalmente Carlos fabrica cerca de 1,5 mil peças e usa mil quilos de argila trazida de Cacoal. O barro para fazer as peças é especial, e difícil de ser encontrado, diz.
Durante a fabricação das peças a concentração, paciência e habilidade são ferramentas importantes para o artesão. Moldar objetos de barro não é pra qualquer um, conta. Segundo ele, o carro chefe de suas vendas são os cofrinhos de variados tamanhos e formas. Vendo os cofrinhos para lojas de decoração. A saída é muito boa e sempre tenho encomenda, comemora. As peças fabricadas artesanalmente custam de R$ 1,50 até R$ 800.