Encontro busca inserir produtos de Juiz de Fora em iniciativas de turismo


Presidente de Circuito Turístico diz que é preciso adequar produtos.
Produtores reconhecem procura, mas precisam aumentar produção.
Do G1 Zona da Mata
Encontro discute aproximação do artesanato com turismo
Discutir como inserir artesanatos e produtos da agricultura familiar de Juiz de Fora em iniciativas de turismo foi um dos objetivos de um encontro realizado na tarde desta sexta-feira (18), dentro da Semana do Artesão e da Agricultura Familiar. De acordo com o Circuito Turístico Caminho Novo, é possível buscar a aproximação com o turismo a partir da adequação dos produtos.
A loja da Associação de Artesãos do Bairro São Mateus é uma vitrine para os produtos de 23 pessoas, mas o espaço ainda não garante a venda das mais de 900 peças produzidas. Falta incentivo, falta uma propaganda, diz a presidente da associação Ivany Gomes.
Os produtos preparados por 18 famílias da Associação dos Produtores Rurais da Agroindústria Familiar de Juiz de Fora ficam expostos no mercado municipal. A dificuldade, segundo a produtora Maria Eulália, é conseguir atender à procura. A gente não encontra pessoas para nos ajudar, que esteja preparada para isso. Existe a procura, mas não damos conta, conta.
O presidente da associação, Maxwell Ladeira, diz que os produtos no mercado municipal atendem ao mercado local. Na rodoviária, 80% dos clientes são consumidores de outros locais e voltam querendo o nosso produto da roça. O desafio é aumentar o número de produtores e a produção, explica.
Segundo a presidente do Circuito Turístico Caminho Novo, Daniele Feyo, é preciso adequar os produtos para gerar aproximação com o turismo. Além de esperar o turista chegar ao produto, às feiras, a gente pode fazer a inserção desses produtos. Precisamos adequá-los para atender aos hotéis, para decoração em um quarto de hotel, ter isso em um brinde, explica.
A coordenadora da Casa da Menina Artesã de Juiz de Fora, Maria Cláudia Magalhães, acredita que aprimorar o produto gera valorização. Com isso, ganha valor junto ao turismo. O artesanto ser bem visto é importante para o crescimento da cidade, avalia.