Em RR, índias mantêm tradição secular de produzir panelas de barro


Herança cultural é mantida desde 1870 por mulheres da etnia Macuxi.
Neste sábado (19), é comemorado o Dia Nacional do Índio.
Emily Costa e Valéria Oliveira
Do G1 RR
Joana de Souza mostra com orgulho a arte indígena que é tradição desde 1870
Fazendo uso apenas das mãos e do conhecimento transmitido ao longo de gerações, as mulheres Macuxi da Comunidade Raposa I, na reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Normandia, Nordeste de Roraima, moldam o barro e transformam terra em arte. É a produção da panela de barro que começa no pé das serras e termina na mesa, alimentando filhos e netos. Neste sábado (19), é comemorado o Dia do Índio.
Herança cultural datada de 1870 na comunidade, a produção das panelas de barro reúne tradição, orgulho e cotidiano. A indígena Joana de Souza, de 50 anos, produz as panelas há três décadas e já viajou para diversos estados onde mostrou a arte Macuxi secular. Ela conta que vários segredos e métodos contribuem para a fabricação do artesanato.
Barro é extraído em serras próximas da Comunidade Raposa I, nordeste de Roraima
Primeiro, o barro deve ser buscado na serra próxima da comunidade. É importante saber que cada panela ou pote precisa de um barro específico, porque se você usa o errado, o artesanato não dá certo, explicou.
Depois de colhido, o barro passa pela secagem e é moído. Quando seco, o material é peneirado, misturado à água e colocado para descansar por duas horas.
Após esse período, a matéria-prima já pode ser manuseada pelas artesãs. O molde é todo feito à mão e deve ser polido com pedra jaspe e colocado no fogo. Quando prontas, as panelas são trazidas para Boa Vista ou comercializadas na própria comunidade Raposa I.
Apesar de simples, a fabricação também tem um toque místico. Meninas menores de 12 anos, mulheres grávidas e aquelas em período menstrual não podem fazer panelas, porque ficam doentes e o artesanato não vinga, contou.
Para a indígena Lídia Raposo, a importância da produção do artesanato vai muito além do valor cultural e econômico. Tem a ver com o dia a dia e com o próprio sabor das comidas cozidas nas panelas. A comida feita na panela de barro, além de ficar pronta mais rapidamente, tem um sabor muito mais gostoso do que teria se fosse preparada na panela de ferro, destacou.