Cultura do artesanato marca o desfile de 119 anos de Petrolina, PE

Cultura do artesanato marca o desfile de 119 anos de Petrolina, PE
Mais de 40 escolas e instituições desfilaram pela Avenida Guararapes.
Carros alegóricos homenagearam artesãos locais.
Amanda Franco
Do G1 Petrolina
Hasteamento das bandeiras em Petrolina
Para comemorar os 119 anos do município de Petrolina, estudantes e autoridades participaram do tradicional Desfile Cívico nesta domingo (21). A data foi marcada por homenagens aos artesãos e ao artesanato local.
Carro alegórico em Petrolina
O início do desfile foi dado pelo hasteamento das bandeiras do Brasil, de Pernambuco e de Petrolina que teve a participação do prefeito do município, Julio Lossio, e de autoridades do Exército e da Marinha do Brasil. A Banda Philarmônica 21 de Setembro, que já tinha participado da alvorada festiva às 5h, abriu o desfile tocando o Hino Nacional, e logo após, desfilando desde a Praça das Algarobas até o final da Avenida Guararapes.
O público se organizava para escolher o melhor lugar para assistir a passagem das escolas. Logo após a Orquestra Philarmônica 21 de Setembro, as crianças da creche Nova Semente andaram pela avenida. O desfile teve também a presença do Petrape, da Secretaria de Acessibilidade e de mais de 40 escolas estaduais e municipais, que desfilaram pelo percurso. Cada uma mostrava uma irreverência e um colorido diferente em homenagem à cidade.
O aposentado, Josias Magalhães, chegou cedoe viu todo o movimento. Sempre é muito bonito, desde a banda até as escolas, disse. Josias conta ainda que ir à Avenida Guararapes para ver os desfiles já é uma cultura que ele faz questão de manter.
Artesão homenageado
Maria Neci da Silva, de 65 anos, estava com os três netos. Ela mora no bairro Vila Eduardo, na Zona Leste da cidade, mas disse que todos os anos leva as crianças para acompanhar o desfile cívico. Venho há mais de 10 anos e muitas vezes chego a chorar, é muito emocionante. Tenho netos que já estão com 15 a 20 anos que também já estiveram aqui na avenida comigo acompanhando o desfile, contou.
A neta de Maria Neci, de 10 anos de idade, Maria Eduarda Laurindo de Souza, disse também gostar de estar presente na rua neste dia. Eu acho muito bonito e até já desfilei, disse a garota.
Estudantes desfilando em Petrolina
Com 85 anos, Adália Cristina afirma que estar presente no desfile cívico do aniversário da cidade é muito importante. Gostei muito do tema que trouxeram este ano. Estou achando tudo maravilhoso. Eu, que tenho 85 anos, vi a cidade crescer e estou radiante com isso. A história da cidade, sei contar toda, é só me perguntar, disse.
Nos carros alegóricos, nas mãos dos estudantes e até nas suas roupas, a marca de um Sertão típico do petrolinense. Artesanato feito em madeira, como carrancas e animais como peixe, foi exposto por todas as escolas.