Com argila, artesão de Panorama cria réplicas de taças da Copa do Mundo


Com criatividade, João Lucena, 53 anos, garimpa a matéria-prima e oferece aos torcedores o objeto mais desejado do Mundial
Por Mateus TarifaPanorama, SP
Comente agora
A partir do dia 12 de junho, atletas de 32 seleções irão em busca de erguer a taça da Copa do Mundo. No entanto, em Panorama, no interior de São Paulo, através das mãos do artesão João Lucena, 53 anos, qualquer torcedor pode levar para casa o objeto dourado.
João Lucena erguendo uma de suas taças da Copa do Mundo
- Eu sempre tive vontade de inventar algo relacionado à Copa. Foi aí que surgiu a ideia de criar duas máquinas: uma para moer e outra para limpar argilha, e com elas fazer as taças. Todo o processo de garimpar a matéria-prima até a pintura do objeto na cor dourada passa pelas minhas mãos - explica ele, que trabalha no ramo há oito anos.
A aceitação não poderia ser melhor. Há três meses, Lucena resolveu comercializar as taças. A demanda superou a expectativa e fez com que o artesão vendesse todo seu estoque. A27dias da Copa, o foco é apenas um: produzir.
Todo o processo de garimpar a matéria-prima até a pintura do objeto na cor dourada passa pelas mãos do artesão (Foto: Alex Barreto / Cedida)
- Levei um susto. Não pensei em ganhar dinheiro com isso, mas as pessoas realmente gostaram da taça. Eu procurei fazer parecida com a original.
O processo é minucioso. Com a argilha em mãos, o primeiro passo é moer e tirar as impurezas da terra. A etapa pode durar até duas horas. Feito isso, é a hora de colocar o líquido nos moldes da taça e manusear até o ponto exato. Os segredos para a perfeição do objeto, Lucena prefere não revelar.
- Gosto de fazer com bastante detalhe e muita calma. Tem alguns macetes que não digo. Aí perde a graça, né? - conta, aos risos.
http://globoesporte.globo.com/