Centro de Economia Solidária atenderá 300 empreendedores em Campo Grande (MS)


Para atender 300 empreendedores de baixa renda, entre eles catadores de material reciclado, e gerar renda anual de até R$ 5,4 milhões a este grupo, a prefeitura de Campo Grande elaborou o projeto e busca viabilizar recursos para construir o Centro Público de Economia Solidária. A informação é do jornal Correio do Estado.
De acordo com o diretor-presidente da Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat), Cícero Ávila, além das ações de fomento aos empreendimentos da Economia Solidária, estaremos viabilizando a liberação de recursos para o projeto de assessoria e qualificação que atendam os catadores de materiais reciclados.
A publicação informa que o custo deste prédio é do projeto - que incluiu implantar unidades produtivas, a divulgação e comercialização e o consumo solidário e sustentável de produtos - é de R$ 4 milhões, que vão beneficiar cerca de 300 famílias, gerando renda entre R$ 150 mil/mês a R$ 450 mil/mês para o grupo, o que alcançará R$ 5,4 milhões em um ano, de acordo com estudo da Funsat.
O ponta pé para viabilizar o projeto ocorreu na primeira semana deste mês, quando o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, o diretor-presidente da Funsat, e o deputado federal Akira Otsubo (PMDB/MS) e o senador Waldemir Moka (PMDB/MS) solicitaram a liberação do recursos ao Secretário Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Paul Singer. Até o final deste mês haverá outra reunião do grupo, para fazer acertos que possibilitem a implementação do projeto.
Fonte: Correio do Estado