Artesãs alagoanas participam de fórum para regulamentar as normas de produção e o uso do bordado filé

O filé produzido pelas artesãs alagoanas está prestes a ganhar ainda mais notoriedade dentro do território nacional. Na tarde dessa quinta-feira (29), o mais premiado produto do artesanato alagoano deu um grande passo para conseguir a sua Indicação Geográfica (IG) junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).
Em evento realizado no Museu Théo Brandão, representantes da Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande), Sebrae/AL, Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e da Prefeitura de Maceió estiveram reunidos com artesãs de diversas cooperativas das regiões lagunares para regulamentar as normas de produção e o uso do bordado filé.
O encontro, intitulado Fórum de Validação: Normas e uso do bordado filé da região das lagoas mundaú e manguaba, marcou a conclusão de mais uma etapa no processo de obtenção da IG. Na oportunidade, também foi apresentada a diretoria do Instituto do Bordado Filé, órgão formado por artesãs de vários municípios e cooperativas que ficará habilitado a receber o selo do INPI quando todo o processo de aprovação for concluído.
A diretora de Design e Artesanato da Seplande e coordenadora do PAB em Alagoas, Dyslene Teles, afirmou que a validação das normas é um dos passos mais importantes antes da obtenção da Indicação Geográfica, pois marca qual será a padronização do verdadeiro filé produzido em Alagoas.
Todas as regras e delimitações estão sendo acertadas aqui neste Fórum. É um passo fundamental, pois estamos criando a identidade do filé alagoano, como devem ser empregadas as técnicas e procedimentos, explicou Dyslene. Com a Indicação Geográfica, teremos condições de selar e garantir a autenticidade do filé produzido na região lagunar alagoana, valorizando ainda mais o nosso produto, garantiu.
Após a validação das normas, o último procedimento antes do veredito final do INPI é a estruturação jurídica do Instituto do Bordado Filé, que será a entidade que poderá receber a IG. De acordo com representantes do Sebrae/AL, o processo já está bem encaminhado e nos próximos meses já deve ser concluído.
Nosso filé está ganhando o Brasil. No TrendHouse 2013 (Semana de moda alagoana, encerrada na última semana) vimos grifes de renome, como a Cantão, criar diversos modelos com base nesse tipo de artesanato. Com a IG e o selo de autenticidade, nossas artesãs terão sua produção ainda mais valorizada e os que o adquirirem poderão ter certeza de que se trata de um produto reconhecidamente qualificado e de procedência confiável, concluiu Dyslene Teles.
--
Fonte: Seplande
http://www.alagoas24horas.com.br