Artesãos participam de Workshop de Design em Látex


Por Celis Fabrícia
É uma fonte de renda carro-chefe, o artesanato da borracha. José Rodrigues de Araújo, o Doutor da Borracha
Teve início nesta segunda-feira, 17, o Workshop de Design em Látex. Até a sexta-feira, 21, artesãos que já trabalham com o produto serão capacitados na Metodologia de Design Estratégico. As técnicas são ministradas por professores do Istituto Europeo di Design (IED). Criado em 1966, na Itália, o instituto é referência em formação avançada de design.
Participam do workshop representantes da Reserva Extrativista do Cazumbá Iracema, em Sena Madureira, da Amopreab (Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes), em Brasileia e Xapuri, o Doutor da Borracha, de Epitaciolândia, e o Grupo da Comunidade de Artesãos do Calafate, em Rio Branco.
Pra nós é uma alegria de compartilhar nosso dom de ensinar e também de aprender muito mais.
Outro conhecido artesão é José Rodrigues de Araújo, o Doutor da Borracha. Em 2004 participou dos primeiros cursos para uso do látex na forma de FDL (Folha Defumada Líquida). A partir de 2005, começou a fazer artesanato com essa matéria-prima. Em seguida ele, e outros artesãos, passaram foram capacitados para trabalhar com látex na forma FSA (Folha Semi-Artefato), usada hoje na produção de sandálias e sapatos.
O artesão considera a seringueira a mãe de todos. Meu Pai foi criado com o leite de seringa, eu, estou criando meus filhos, e hoje é uma fonte de renda carro-chefe, o artesanato da borracha comenta o Doutor da Borracha, que produz 120 pares de calçados por mês e com o workshop espera ampliar os negócios. A expectativa é expandir mais, crescer, porque eu tenho grande fé na borracha, na seringa, que só tem a fazer crescer a produção.
Sapatos produzidos por artesãos acreanos com FSA
Como o trabalho já cresceu com o esforço e busca pessoal de cada grupo de artesãos, agora é necessário atribuir valor ao produto, explorando o potencial criativo e aspectos de design. Com isso, melhorar o resultado que se pode trazer para a comunidade, para si próprio e para o Estado como produtor estratégico de látex. Essa cultura de sustentabilidade fica muito reforçada com isso, comenta Fabiano Pereira, coordenador do Projeto Acre Látex Design Lab.
O Workshop é ministrado na Escola da Floresta, km 19 da Estrada Transacreana, em Rio Branco, como parte do Projeto Acre Látex Design Lab, idealizado pela arquiteta e urbanista Marlúcia Cândida. A grande expectativa é mostrar para o mundo que o nosso sapato de seringa é valoroso. É um sapato confortável, bonito, e a gente quer vê-lo atravessando fronteira com qualidade, por isso chamamos o Istituto Europeo di Design para nos ajudar a aprimorá-lo e encontrar mercado, comenta.
O projeto é desenvolvido pelo governo do Estado, através do Instituto Dom Moacyr e tem a parceria do Sebrae, que com o Projeto Artesanato Acreano ExpoArte tem o objetivo de levar esses produtos para os grandes eventos que o Brasil vai sediar como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Então o Sebrae está preparando esses artesãos , microempreendedores, para se aperfeiçoaram para levar um produto de qualidade e mostrar a cultura do nosso Estado lá fora, explica Sirlana Peres, gerente da unidade de comércio e serviços do Sebrae-Acre.
Secretaria de Pequenos Negócios, ICMBio (Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade) e Seaprof (Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar) apoiam as ações. Para o secretário Lourival Marques, da Seaprof, a iniciativa vem complementar a cadeia produtiva da borracha no Estado que tem florestas plantadas, incentivo no subsídio para os produtores rurais, contrato com empresas europeias e a fábrica de preservativos masculinos. Esse treinamento dá uma oportunidade a mais para o nosso produtor rural que trabalha com a borracha no Estado.
Sobre o IED
O IED é uma rede internacional que atua nos campos da educação e da pesquisa, nas áreas de design, moda, artes visuais e comunicação. A escola é um laboratório criativo e dinâmico. As rápidas transformações nos diversos contextos produtivos encontram resposta imediata no conteúdo dos cursos oferecidos pelo IED.
A escola está presente na Itália - em Milão, Turim, Roma e Veneza -, na Espanha - em Madrid e Barcelona - e, desde 2005, no Brasil, em São Paulo. Os estudantes da rede internacional do IED são provenientes de mais de 90 países de todos os continentes. A diversidade cultural é uma constante que enriquece a escola. Desde o seu nascimento, em 1966, na Itália, o IED formou mais de 90 mil estudantes.
http://www.agencia.ac.gov.br/