Artesãos locais terão novo local de trabalho

A Prefeitura nos prometeu um lugar e estamos começando com este, que ainda não é definitivo, mas já é uma esperança de vendas maiores ressaltou a artesã Marcia Maurat
- Interessados em participar do programa devem fazer cadastro
Cerca de 50 artesãos de Teresópolis se reuniram nas dependências do ginásio Pedrão, na Várzea, para definirem as próximas etapas de criação de um espaço para exposição dos produtos confeccionados por eles. O encontro foi presidido pela subsecretária de Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Susan Hodge, e contou com a participação do secretário de Turismo, Ronaldo Fialho. Durante o encontro, Susan anunciou que a partir da segunda quinzena de maio, os artesãos locais, cadastrados na secretaria, já deverão expor os seus artigos num espaço cedido pela Secretaria de Turismo, junto a Feirinha de Teresópolis, no Alto.
Segundo ela, os artistas precisam de um espaço único para trabalhar e apresentar seus produtos. O objetivo central da secretaria é organizar esses artesãos e dar a eles um lugar digno de venda, onde nosso artesanato possa ser visto pelo maior número de pessoas e Teresópolis passe a ser reconhecida também como cidade do artesanato, disse.
Susan ainda ressaltou que vem sendo buscada uma política pública de qualidade no eixo da economia solidária, para a criação da Casa do Artesão e da Casa do Trabalhador, com cursos profissionalizantes através do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego).
Para Zumira de Lima Lack, artesã há mais de 30 anos, ter um lugar específico para trabalhar é muito gratificante. Trabalho com patchwork e fiquei muito feliz com a notícia do espaço adquirido. Sempre tive vontade de ter um cantinho para mostrar minha arte. Adorei estar aqui e não vou perder reunião nenhuma, porque quero me envolver cada vez mais com essa turma, comentou.
Começamos com a Feira de Natal e agora estamos dando mais um passo rumo à Casa do Artesão. A Prefeitura nos prometeu um lugar e estamos começando com este, que ainda não é definitivo, mas já é uma esperança de vendas maiores. Não tinha onde vender meu artesanato e para o artista isso é muito frustrante porque nós queremos que as pessoas vejam nosso trabalho. Agora, finalmente vou poder fazer isso e espero aumentar minhas vendas, ressaltou a artesã Marcia Maurat. Sr. Luiz Pacheco também aprovou o espaço. Há muito tempo trabalho em feiras de artesanato, mas nunca tive um lugar fixo para expor. Fico feliz em ter um agora, falou.
http://netdiario.com.br/