Ambulantes discutem venda de produtos no Centro de Juiz de Fora

Eles questionam regras dos tipos de produtos a serem comercializados.
Segundo a Prefeitura, não há previsão de flexibilização.
Do G1 Zona da Mata
Várias leis regulamentam o trabalho dos artesãos da Rua Halfeld, no Centro de Juiz de Fora. As regras definem quais os tipos de produtos podem ser comercializados. Porém, nem sempre elas são respeitadas. Por isso a Associação dos Artesãos cobra a flexibilização do licenciamento. Mas de acordo com a Secretaria de Atividades Urbanas (SAU), não há previsão de ampliação.
Na cidade, os pipoqueiros, por exemplo, podem vender à vontade e no horário que quiserem. Contudo, os ambulantes que montam barraquinhas não compartilham dessa realidade. No Calçadão da Rua Halfeld, entre as avenidas Rio Branco e Getúlio Vargas, esse tipo de comércio só é permitido a partir das 18h. O acordo firmado com a Prefeitura afirma que o espaço só poderia ser usado para vender exclusivamente artesanato, mas não é isso o que acontece.
O ambulante José Geraldo Soares usa o colete da associação dos feirantes. No entanto, o que ele vende são bijuterias e não artesanato. Nós temos a licença para trabalhar. Fizemos esse colete e a capa amarela para identificar as pessoas que podem ficar aqui. Se é um trabalho honesto, digno e honrado, porque não fazer isso?, questionou.
O presidente da Associação dos Artesãos da Rua Halfeld, Marcos Almeida, defende a flexibilização. O artesanato não é o único procurado. O consumidor busca também outros tipos de produto. Temos também alguns outros materiais que podem ser considerados artesanato, mas a Prefeitura não aceita, explicou.
saiba mais
De acordo com o assessor da SAU, Paulo César Mariano, a princípio apenas produtos artesanais podem ser vendidos no local. O artesanato valoriza a cultura local. Nós não pensamos na possibilidade de permitir produtos que não tenham essa origem, ou seja, que não foram confeccionados manualmente. Nós já nos reunimos com os comerciantes do calçadão para passar as orientações este ano e pretendemos marcar outro encontro ainda no final de 2013, garantiu.
Artesanato na cidade
De acordo com a presidente da Associação de Artesãos do bairro São Mateus, Ivany Costa, Juiz de Fora tem muito artesanato. Entretanto, faltam lugares para expor. A associação é antiga, foi fundada em 1997, só aqui temos 40 artesãos. Toda vez que abrimos uma vaga, há uma fila para conseguir entrar, destacou.
E o Parque Halfeld não agrada os trabalhadores. Eu saí de lá porque é muito tumulto, muita confusão, pessoas tentando assaltar. Ficava difícil. Se tivesse mais fiscalização e segurança, com certeza iria melhorar. Deveria ter também o mínimo de conforto. Barraquinhas próprias e pelo menos um banheiro químico, disse a artesã Rosângela Costa.
G1