Festival Queima do Alho resgata cultura tropeira na Divinaexpô em MG


Evento gastronômico é neste sábado às 11h no Parque de Exposições.
Festival mantêm viva a tradição da culinária das estradas.
Do G1 Centro-Oeste de Minas
Prato da Queima do Alho completo: arroz de carreteiro, feijão tropeiro, carne e farofa de paçoca (Foto: Érico Andrade/G1)
A 44ª Divinaexpô tem na programação um concurso que tenta manter a tradição da cultura tropeira. O festival gastronômico, conhecido como Queima do Alho, reunirá comitivas neste sábado (31) às 11h no Parque de Exposições de Divinópolis. O valor do ingresso é R$ 30 e a renda arrecadada será revertida para entidades filantrópicas da cidade.
A Queima do Alho tem o objetivo de manter viva a tradição da comida típica dos peões do estradão na época em que viajavam para vender bois. A história relata a história que o cozinheiro e dois ajudantes iam à frente da comitiva, escolhiam um lugar embaixo de uma árvore, onde organizavam e realizavam todo preparo do almoço. Quando os peões chegavam famintos, já estava tudo pronto. O ponto final das viagens era Barretos por ser um grande mercado de bois, daí começou a competição entre os cozinheiros das comitivas que chegavam à cidade, de quem preparava a melhor comida.
Para o evento realizado na Divinaexpô, são distribuídos kits iguais para todas as comitivas com mantimentos típicos da culinária estradeira. Cada comitiva prepara o típico cardápio reforçado do peão estradeiro, que combina arroz carreteiro, feijão gordo, paçoca feita no pilão e carne na chapa de ferro dentro de 90 minutos. As comitivas só poderão participar se estiverem dentro do contexto da tradição. O cozinheiro tem que estar preparado como se estivesse no estradão e pode levar dois ajudantes. A comida pronta é anunciada com o toque do berrante.
O julgamento da melhor comida será feito por dois comissários que viajaram no estradão e tem conhecimento de causa, além de duas outras pessoas que não são identificadas antes do evento. Serão contemplados os três primeiros colocados. A pontuação do julgamento da comida vai variar de 5 a 10 pontos. Enquanto as comitivas preparam a comida típica estradeira, shows de moda de viola serão realizados no palco do evento.
Conheça as regras do concurso gastronômico
Na Queima do Alho não é permitido mulheres na cozinha. Os vasilhames não podem ser de plástico ou louça. O fogão deverá ser feito ou montado pelas comitivas no dia anterior ao concurso, exceto trempe de chão que poderá ser montada no dia com três horas de antecedência do mesmo. Só será permitido acender o fogão após o toque do berrante. Será punida a cozinha com excesso de fumaça, que prejudique o evento.

Alimentos & Bebidas
Artesanato
Turismo