Copa será porta para exportação de artigos artesanais


DA REDAÇÃO
A partir de chifres rústicos, a artesã Isabel Doering cria peças finas, como o colar acima
Um grupo de 18 artesãs de Mato Grosso do Sul não torce apenas para a Seleção Brasileira conquistar o hexacampeonato, mas também para a Copa do Mundo dar uma mãozinha na expansão de seus produtos para o mercado internacional. Elas fazem parte do projeto Brasil Original, desenvolvido pelo Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em todo o País, com o objetivo de propagar o artesanato nacional, segundo matéria publicada hoje (1º) no jornal Correio do Estado.
Do Estado, estão sendo enviadas quase 3 mil peças artesanais, que devem proporcionar o valor médio de R$ 60 mil. Esses números, no entanto, são apenas aperitivos - o prato principal é a possibilidade de iniciar ou expandir negócios no exterior.
O selo do Ateliê Rozéles, afixado em cada produto, não deixa dúvidas: entre os possíveis consumidores da artesã Rozéles Nogueira Viega, estão os estrangeiros. Feitos especialmente para os turistas que movimentarão as cidades-sedes dos jogos, os artigos trazem selos com inscrições em português, inglês e espanhol. A frase Sou artesã, faço meu trabalho com as mãos e com o coração é acompanhada de Im an artisan, do my work... e Soy un artesano, hacer mi trabajo... A expectativa de Rozéles é que o consumo de pessoas de outros países não se limite aos dias do Mundial. Espero que a Copa possa abrir as portas para eu começar a exportar, afirma.
Quem olha o chifre de um bovino certamente não vê a beleza percebida pela artesã Isabel Doering Muxfeldt. Ela transforma os chifres rústicos em peças finas: brincos, colares, chaveiros, cintos, pulseiras, anéis e marcadores de página. Esse talento também será conhecido pelos turistas que estarão no Brasil durante a Copa. A reportagem é de Osvaldo Júnior.
http://www.correiodoestado.com.br/

Alimentos & Bebidas
Artesanato
Turismo